Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Companhia de Comando da 2ª DE
Início do conteúdo da página
Companhia de Comando da 2ª DE

Companhia de Comando da 2ª Divisão de Exército

Publicado: Segunda, 30 de Janeiro de 2023, 17h30 | Acessos: 1888

Após cerca de 26 anos extinta, o Comandante do Exército recriou, por meio da Portaria – C Ex N° 1.639, de 24 de novembro de 2021, a Companhia de Comando da 2ª Divisão de Exército, com sede em São Paulo (SP).

A previsão de funcionamento da Cia C/2ª DE é a partir de 1° de janeiro de 2023. Seu Núcleo de Criação já foi ativado e, enquanto isso, oficiais e sargentos do Comando Militar do Sudeste, do Comando da 2ª Divisão de Exército e do Comando da 2ª Região Militar compõem um Grupo de Trabalho para a implantação desse projeto.

Contudo, a história dessa Subunidade tem origens mais remotas, conforme acompanharemos agora.

HISTÓRICO

Criação em Lorena (SP) e funcionamento no 5° RI

Após o desmembramento da 2ª Divisão de Infantaria da 2ª Região Militar, em 29 de outubro de 1952, diversas medidas administrativas são tomadas para a implantação deste novo Grande Comando: a 2ª Divisão de Infantaria (DI).

O primeiro comandante da 2ª DI, General de Divisão Floriano de Lima Brayner, declara instalado o Comando Divisionário autônomo em 15 de setembro de 1953 temporariamente em um edifício pertencente à Diocese de Lorena, localizado à Praça Baronesa de Santa Eulália, com todos seus órgãos: Estado-Maior Geral e Especial e Ajudância Geral, “embora incompletos nos seus efetivos por falta de pessoal”, conforme registrou no primeiro Boletim da história da Divisão.

Nessa mesma data, o Comandante da Divisão organiza parte do efetivo do Quartel-General (QG) da 2ª DI com 21 militares, sendo quatro sargentos e 17 soldados oriundos do 5° Regimento de Infantaria, Organização Militar localizada em Lorena (SP), e que passava a ser subordinada da 2ª DI, com a criação desta. Esses militares deveriam se apresentar ao QG da 2ª DI, contudo seguiriam recebendo instrução por parte do 5° RI.

Nesse boletim, pela primeira vez é registrada uma menção à Companhia de Comando: “A organização da Companhia do Quartel-General da 2ª Divisão de Infantaria será feita posteriormente”.

Em 19 de dezembro de 1953, o Capitão Carlos Alberto Aranha Gouvea redige um documento para o Ajudante Geral do QG da 2ª DI descrevendo o material que foi cautelado junto ao 5° RI para o início do funcionamento da Companhia do Quartel-General da 2ª Divisão de Infantaria (Cia do QGD/2). O Comandante da Divisão, então, decide criá-la e sua data natalícia é 1° de janeiro de 1954. O Capitão Carlos Alberto Aranha Gouvea é designado seu primeiro comandante.

No início, a Companhia funciona nas dependências do antigo almoxarifado do quartel do 5° RI. A Unidade de Lorena também fica responsável por prover alimentação e os vencimentos dos militares da Companhia.

Mudança do QG para São Paulo e busca por uma nova sede

Em 17 de abril de 1954, o QG da 2ª DI é transferido para Quitaúna, na cidade de Osasco (SP), na Grande São Paulo. No mês seguinte, no dia 28, é registrado o deslocamento de todo o pessoal e material do QG para um edifício na Rua Coronel Oscar Porto, 487, na capital paulista.

Nesta mudança para a capital, o Comandante da 2ª DI é o então General de Brigada Arthur da Costa e Silva, que havia assumido interinamente o comando no dia 26 de abril, acumulando a função com a de Comandante da Infantaria Divisionária. O nome do futuro presidente da República é hoje a denominação histórica da atual 2ª DE: “Divisão Presidente Costa e Silva”.

O QG muda-se mais uma vez, em 15 de julho, para a Alameda Barão do Rio Branco, n° 96. Não antes de acabar o ano de 1954, em 5 de novembro, o QG instala-se junto ao quartel do 2° Esquadrão de Reconhecimento Mecanizado (Esqd Rec Mec), situado à Rua Padre Manoel da Nóbrega, 887, onde permaneceria por mais de 40 anos junto à sua Companhia de Comando.

Nesse intervalo de um ano, entre sair das instalações do antigo almoxarifado do 5° RI até ocupar o plano superior do pavilhão sul do quartel do 2° Esqd Rec Mec, a Companhia do Quartel-General da 2ª Divisão de Infantaria ficou instalada na Estrada de Campinas, no bairro da Lapa, na capital paulista, nas instalações da ESM da 2ª Região Militar, até 16 de fevereiro de 1955.

Em 7 de janeiro de 1956, 58 recrutas são incorporados à Cia QGD/2 e ao próprio Comando da 2ª DI. De fato, durante os anos seguintes, haveria praças ocupando claros entre o QG e sua companhia.

Mudança de nome da Companhia

Em 6 de fevereiro de 1972, a 2ª Divisão de Infantaria passa a denominar-se 2ª Divisão de Exército. Na esteira dessa mudança, a partir de 1° de janeiro de 1975, a Cia QGD/2 passa por uma restruturação de efetivo, fruto da Portaria 115-EME-resevada, de 9 de dezembro de 1974, e tem sua denominação alterada para Companhia de Comando da 2ª Divisão de Exército (Cia C/2ª DE), tendo sido nomeado seu primeiro comandante com a nova denominação o Capitão de Infantaria Wanderley Gomes Sardinha. No mesmo ato, foi designado para comandar o Pelotão de Segurança da Companhia o 2° Tenente de Infantaria R/2 Edson Garcia Lopes Dueñas.

Além do novo comandante e do tenente, outros 31 subtenentes e sargentos, nove cabos, três soldados e 23 conscritos, totalizando 68 militares no efetivo da Cia Cmdo/2ª DE.

Em 29 de janeiro de 1975, o então ajudante de ordens do Comandante da Divisão assumiu o comando da Cia C/2ª DE: Capitão de Infantaria Ivo Fernandes Krüger.

Após 42 anos ocupando instalações na Rua Manoel da Nóbrega, o Comando da 2ª DE foi transferido para o Quartel-General Integrado em janeiro de 1996. Com essa mudança, a Cia C/2ª DE foi extinta, até ter sua recriação publicada em 2021.

2023: solenidade de recriação e assunção de comando

A solenidade de recriação e de assunção do primeiro comandante foi realizada no dia 31 de janeiro de 2023, no pátio de formaturas do 8° Batalhão de Polícia do Exército (BPE). A OM funcionará no Forte Ibirapuera, ao lado da Base de Administração e Apoio do Ibirapuera e do 8° BPE, e próxima do Quartel-General Integrado, onde está localizado o Comando da 2ª DE.

O primeiro comandante após a recriação é o Capitão de Infantaria Derick de Oliveira Conceição.

Fim do conteúdo da página