Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > 11ª Brigada de Infantaria Leve promove Exercício Anhanguera na Região de Campinas
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

11ª Brigada de Infantaria Leve promove Exercício Anhanguera na Região de Campinas

  • Publicado: Terça, 13 de Junho de 2017, 16h16
  • Última atualização em Segunda, 26 de Junho de 2017, 15h11

Exercício simulado visa capacitar tropas a serem empregadas em Operações de Garantia da Lei e da Ordem (GLO).

Valinhos (SP) – Vândalos bloqueiam uma rua colocando fogo em carros, pneus e madeira, gerando ameaça à ordem pública e à segurança das pessoas e do patrimônio. O Exército Brasileiro é chamado a fim de dissuadi-los. A situação não era real, mas poderia ser. A 11ª Brigada de Infantaria Leve (Bda Inf L) realizou, entre os dias 5 e 9 de junho, o Exercício Anhanguera nos municípios de Valinhos, Indaiatuba e Paulínia, no interior de São Paulo. O objetivo da simulação era capacitar as tropas a serem empregadas em Operações de Apoio a Órgãos Governamentais em um quadro de normalidade institucional, com ênfase na tarefa de Garantia da Lei e da Ordem (GLO). O exercício simulado é realizado pela 13ª vez na Região Metropolitana de Campinas e, neste ano, contou com um efetivo de 1.900 militares.

Curto espaço de planejamento

Durante cinco dias, os comandantes de unidade receberam ordens emitidas pela 11ª Bda Inf L para missões típicas de GLO. A missão deveria ser cumprida dali a duas horas. O curto espaço de tempo foi mais um desafio que a Brigada Anhanguera colocou a suas unidades. “Numa situação de emprego real a gente tem pouco tempo de planejamento e preparação”, salientou o Comandante do 37° Batalhão de Infantaria Leve (BIL), Tenente-Coronel Vaz. “Então a Brigada faz isso de propósito, justamente com o intuito de nos adestrar com esse tempo exíguo e com a execução cada vez melhor”, completou o Comandante do 37° BIL.
A unidade comandada pelo TC Vaz atuou em Valinhos durante o exercício, a 380 quilômetros de sua sede, localizada em Lins (SP). Do Oeste Paulista, vieram 336 militares. Na simulação citada no início dessa reportagem, a missão coube ao 37° BIL.

A ação em Valinhos

Naquele cenário de caos construído pela Força Oponente Simulada (constituída por militares do 2° Grupo de Artilharia de Campanha Leve, de Itu), chega em caminhões de transporte de tropa um pelotão de fuzileiros do 37° BIL, armados com munição e tecnologia não-letal. Após constituírem uma formação de combate, os militares informam aos agentes perturbadores da ordem pública que “essa manifestação é ilegal” e tentam negociar o término da ação, informando que “não há intenção de fazer uso da força”. Sem sucesso, a formação de choque avança.

“Numa situação de emprego real a gente tem pouco tempo de planejamento e preparação”, salientou o Comandante do 37° BIL.

Driblando o fogo da barricada, a tropa avança, alcança o seu objetivo e reestabelece a ordem naquele local. Somente para um personagem aquilo tudo foi muito real: os cães de guerra. Com guias curtas e próximos aos militares, os cães são mais uma ferramenta de dissuasão em manifestações.

“O Exercício Anhanguera tem sido excepcional. Nas semanas anteriores, em nossa unidade, fizemos o período de adestramento básico de GLO, no qual nos preparamos e demos instrução aos recrutas para esses tipos de técnicas, táticas e procedimentos”, ressaltou o Comandante do 37° BIL.

Outras unidades

Em Indaiatuba, instalaram-se e realizaram suas missões o 2° BIL, de São Vicente, e o 13° Regimento de Cavalaria Mecanizado, de Pirassununga. O 28° BIL, de Campinas, ficou acantonado em Paulínia.

GLO

As Operações de Garantia da Lei e da Ordem (Op GLO) caracterizam-se como operações de “não guerra”, pois, embora empreguem o Poder Militar, no âmbito interno, não envolvem o combate propriamente dito. As Op GLO costumam ocorrer após solicitação do Poder Executivo Estadual ao Presidente da República, quando é notado que as Polícias Militares estão “indisponíveis ou insuficientes para o desempenho regular de sua missão constitucional”. O caso mais recente – e que ganhou repercussão nacional – foi o emprego de tropas do Exército no Estado do Espírito Santo.

Veja mais fotos do exercício no nosso álbum.

registrado em:
Fim do conteúdo da página